Zoonoses faz vistorias em Parques e Jardins

Publicada em 19/07/2018 às 13:02

Com a estiagem e a queda na temperatura, é necessário ficar atentos ao surgimento dos carrapatos. Para manter a população orientada, a Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) realiza investigação epidemiológica nos parques e jardins públicos da cidade. Os carrapatos fazem parte do meio ambiente e podem ‘circular’ de um ambiente ao outro a partir de animais silvestres e ou domésticos. Por isso, os proprietários de cães e gatos devem estar atentos.

De acordo com o gerente da Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), Carlos Ozahata, a investigação epidemiológica é realizada nas áreas públicas para evitar que esses artrópodes causem danos à saúde. “A partir da análise, as equipes orientam responsáveis pelos espaços para os cuidados necessários, como a manutenção da grama baixa – para que a incidência de sol dificulte o esconderijo dos carrapatos, e até, se for o caso, orientar a população a se vistoriar em busca dos animais. Os carrapatos estão no meio ambiente e é preciso cuidar para evitar danos. O período entre junho e outubro é o de maior atividade para esses parasitas, por isso, é necessário que a população esteja atenta”, comenta.

Para Alcides Amaral Filho, visitante do Parque Botânico do Eloy Chaves, as vistorias feitas elas equipes da UVZ são importantes. “Mostra que a Prefeitura está atenta para evitar que esses carrapatos cheguem até a população, fazendo orientação. Mas as pessoas também precisam seguir as orientações, para evitar que sejam picadas”, comenta.

Os carrapatos, se contaminados com a  bactéria Rickettsia rickettsii, podem transmitir a febre maculosa.  Para que haja a contaminação em humanos, é necessário estar em contato com o carrapato por um período prolongado de tempo. A partir da presença de sintomas (febre, manchas avermelhadas pela pele), a pessoa deve buscar atendimento médico e informar o profissional sobre a ocorrência.

De acordo com dados da Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), órgão ligado à Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), a cidade registra 12 notificações suspeitas para febre maculosa, sendo quatro descartados e um negativo. A partir da notificação suspeita, as equipes da UVZ fazem investigação epidemiológica, conforme a necessidade, em busca dos artrópodes, para análise, bem como, conscientização da população sobre os cuidados necessários para evitar o contato, inclusive dos animais domésticos, com os carrapatos.

A febre maculosa tem cura, mas seu tratamento deve ser iniciado com antibióticos após o surgimento dos primeiros sintomas para evitar complicações graves, como inflamação do cérebro, paralisia, insuficiência respiratória ou insuficiência renal, que podem colocar em perigo a vida do paciente.

Assessoria de Imprensa

Fotos: Fotógrafos PMJ

 



Link original: https://saladeimprensa.jundiai.sp.gov.br/2018/07/19/zoonoses-faz-vistorias-em-parques-e-jardins/
Leia mais sobre , , ,

Galeria de imagens desta notícia

Clique na imagem para fazer o download do arquivo na resolução original



Sala de Imprensa | Desenvolvido por CIJUN
www.jundiai.sp.gov.br