Cultura apresenta o levantamento de ações e próximos projetos

Publicada em 17/08/2017 às 16:09

A Unidade de Gestão de Cultura apresenta o levantamento de ações realizadas durante o primeiro semestre de 2017. Uma das grandes realizações foi a mudança de alguns de seus departamentos e da Casa da Cultura Ariano Suassuna de um imóvel alugado no Centro para o Complexo Fepasa, tendo retomado as tratativas de revitalização aprovadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para o espaço, economizando R$ 144 mil, anuais com aluguel e criando um novo palco para os artistas da cidade: a Sala Jundiaí.

Para a gestora de Cultura, Vasti Ferrari Marques, a Unidade atinge as metas do Plano de Governo com atividades aceleradas e descentralizadas, além da qualidade das ações oferecidas. “Muito antes do tempo esperado temos visto a concretização de ações, como a ocupação do Complexo Fepasa como espaço autêntico da Cultura jundiaiense. Em quatro meses conseguimos fazer com que as pessoas compreendessem este espaço como coração a Cultura”, comemora.

Solar do Barão e Centro das Artes

Outra grande ação promovida pela Unidade foi a reforma do Museu Histórico e Cultural – Solar do Barão e adjacências, bem como a revitalização e reabertura para a população dos jardins do Solar, obras que teriam custado cerca de R$ 80 mil aos cofres públicos, se não fosse pela contribuição e sensibilização de parceiros, servidores e voluntários. Fechado nos últimos quatro anos, os jardins tiveram seu projeto paisagístico redefinido, catalogação e avaliação da saúde das plantas, retirada forçada de árvores doentes e com risco iminente de queda, organização dos canteiros e da flora, além da instalação de pergolados, novos bancos e a revitalização do jardim japonês. Ações têm garantido mais de 900 frequentadores diários ao espaço, números bastante próximos à média registrada mensalmente até 2016.

A exemplo dessa parceria público-privada, a Unidade começou também a busca por empresários e cidadãos para revitalizar o Centro das Artes. O espaço permaneceu fechado nos últimos quatro anos e teve somente 22% da reforma anunciada em julho de 2015 concluída. Após avaliação da Unidade de Negócios Jurídicos e Cidadania de que o rompimento com a empresa licitada não traria prejuízos, a Cultura fez proposta amigável à empresa e deu início à solicitação de distrato, a fim de evitar que uma possível reforma concluída não atendesse às expectativas e necessidades da classe artística da cidade.

O novo projeto da Cultura para o Centro das Artes contempla duas salas de espetáculos, uma com 300 lugares (Sala Glória Rocha) e outra com 80 lugares e um palco que pode se movimentar. Além disso, haverá sala de ensaios, centro de exposições de artes visuais, um piano de cauda no pátio, cafeteria, camarins, banheiros e elevadores.

Para Vasti, devolver o Centro das Artes à população jundiaiense é um dos grandes motes do Governo. “A ideia é trazer contemporaneidade ao espaço, fazendo com que as pessoas se apropriem dele e de outros equipamentos, tornando, de fato, Jundiaí, a terra da Cultura”.

Aproximação com artistas

Duas outras novidades vieram logo em fevereiro, com a primeira edição do Café com Artistas e o lançamento do Cadastro de Artistas, uma antiga demanda do segmento artítisco. O Café foi pensado como uma oportunidade para a Unidade de Gestão dialogar com os artistas, ouvir suas demandas e informá-los sobre ações e novidades. Ao encontro dessa proposta, o Cadastro online, que já conta com 500 inscritos, permite que os artistas, grupos e produtores se registrem e divulguem seu trabalho com mais facilidade.

A fim de facilitar o acesso da população aos equipamentos culturais da cidade, a Pinacoteca Diógenes Duarte Paes, o Museu da Cia. Paulista e o Museu Histórico e Cultural passaram a ficar abertos em horário estendido aos fins de semana, emendas, feriados e pontos facultativos. Abertos das 9h às 16h nessas ocasiões, os espaços se revezam com eventos especiais, como contações de histórias, exposições, oficinas e workshops.

Festejos

Durante dois finais de semana de junho, a Cultura também promoveu a primeira edição dos Festejos Juninos na Praça Marechal Floriano Peixoto, a Praça do Coreto. Com opções diversas de gastronomia, artesanato, barracas de brincadeiras e um festival de quadrilhas, Festejos trouxeram como repertório a música de raiz, com vertente caipira, e o forró das grandes festas nordestinas de São João. Os Festejos contaram também com o apoio do Fundo Social de Solidariedade (Funss), que levou à praça as barracas de brincadeiras, e com o apoio dos artistas do programa Jundiaí feito à Mão.

Também em junho, a Orquestra Municipal de Jundiaí, que mensalmente faz parte da agenda Teatro Polytheama, se apresentou também na paróquia Nossa Senhora Aparecida, no Jardim Novo Horizonte, e na paróquia Nossa Senhora do Montenegro, no Jardim do Lago, com uma proposta de descentralizar as apresentações de música clássica e erudita em outros espaços da cidade.

Em linha com a proposta de gestão por plataformas de serviços, a Unidade de Cultura passou ainda a receber as “horas de estudos” dos professores da rede de Educação nos equipamentos culturais da cidade, como a Sala Jundiaí, os Museus e a Pinacoteca.

O Complexo Fepasa recebeu em julho a primeira edição do Arraial das Artes. Com 12 horas de programação, evento propôs uma mobilização e ação social por meio das artes, com shows musicais e de mágica, comédia teatral, espetáculo com mímica e bonecos, oficinas de grafite e de dança, apresentação de escola de samba, artesanato, literatura, fotografia e tatuagem, mostra de cinema com bate-papo com cineastas, além de barracas com comidas típicas juninas.

A Cultura também lançou o programa Cultura nos Parques. Numa parceria com a DAE Jundiaí, a programação traz apresentações musicais e teatrais ao Parque da Cidade nos últimos domingos do mês, com proposta de expansão para outros parques da cidade.

Eventos que já faziam parte do calendário municipal também foram contemplados pela agenda da Cultura, como a Festa da Uva e Expo Vinhos, no Parque Comendador Antônio Carbonari, em parceria com a Unidade de Agronegócio, Abastecimento e Turismo (UGAAT).

Outro programa que está de volta é o Sexta no Centro. Conhecido por seu ambiente familiar com opções variadas de música, gastronomia dos permissionários dos varejões vinculados à UGAAT e artesanato dos artistas do Jundiaí feito à Mão, programa passou a ter estilo musical temático por noite e a ser realizado na Praça do Coreto a fim de aproveitar a infraestrutura de palco oferecida no local e levar programação a mais espaços da cidade. A edição de agosto está marcada para o dia 25, com início às 18h, e traz como tema as influências da cultura geek e nerd, com apresentação de bandas, batalha de Sabres de Luz e parada Cosplay.

Há também o Simpósio sobre Patrimônio Material e Imaterial, que será realizado nos dias 17, 18 e 19 de agosto, com novidades como a vinda do superintendente de Iphan, Victor Hugo Mori, e terá eventos fora do Complexo Fepasa, como a solenidade de abertura no Museu Histórico e Cultural, o lançamento da Rota Turística Centro Histórico na Pinacoteca; e a volta da Viagem Fantástica pelo Polytheama, uma mediação encenada por duas atrizes que contam a história e bastidores do teatro centenário de forma didática e bem humorada.

Próximos passos

Para o segundo semestre, a programação da Unidade de Cultura também tem novidades. Uma delas, a partir do domingo (27), o estacionamento do Complexo Fepasa passará a receber mensalmente o Encontro de Carros Antigos, promovido pela Associação Amigos do Carro Antigo.

Também para o segundo semestre, a Unidade de Gestão de Cultura traz para Jundiaí uma parceria inédita com a SP Escola de Teatro – Centro da Formação das Artes de Palcos, visando à formação de profissionais de Teatro na capacitação de outros artistas.

A programação do Teatro Polytheama também traz novidades. A Viagem Fantástica pelo Polytheama segue com visitas gratuitas até novembro, devendo ser agendadas pelo telefone (11) 4586-2472 ou pelo e-mail viagempolytheama@gmail.com. O Teatro também irá promover espetáculos consagrados em comemoração à Semana da Mostra de Teatro em setembro e ao seu 106º aniversário em dezembro.

A Orquestra Municipal de Jundiaí prossegue com sua agenda de espetáculos no Teatro Polytheama, com apresentação em setembro, outubro novembro e dezembro. Já a Cia. De Teatro de Jundiaí dá sequência à sua agenda de apresentações gratuitas da “Comédia Sem Título”, de Martins Penha, em palcos tradicionais e locais alternativos, no Centro e nos bairros da cidade. Companhia divide com grupo de Salvador o título de únicas companhias estáveis de teatro no país, com elenco selecionado via chamamento público a cada dois anos.

De 1 a 10 de setembro, os palcos do Teatro Polytheama e da Sala Jundiaí do Complexo Fepasa recebem as 14 apresentações da Cena Amadora e da Cena Profissional do 1º Festival de Teatro de Jundiaí (Festeju). Também em setembro, a Cultura estará envolvida com a Unidade da Casa civil nos desfiles de Sete de Setembro, em comemoração à Independência do Brasil e à Semana da Pátria, com solenidades na Escola Superior de Educação Física (Esef), Paço Municipal, Complexo Fepasa, CEU das Artes Vista Alegre, Centro Jundiaiense de Cultura Josefina Rodrigues da Silva (Jorosil) e avenida Prefeito Luiz Latorre.

De 3 a 8 de outubro, apresentações competitivas, mostras, oficinas e workshop do 21º Enredança Jundiaí invadem os palcos do Polytheama e o calçadão da rua Barão de Jundiaí, o Parque da Cidade, CEU das Artes no Vista Alegre e Maxi Shopping Jundiaí, atendendo à proposta da Unidade de descentralização da programação artística na cidade.

De 21 de novembro a 17 de dezembro é a vez de o Teatro Polytheama e o palco interno do Parque Comendador Antonio Carbonari (Parque da Uva) darem vida aos 27 espetáculos do Vitrine da Dança, festival direcionado a escolas, academias e clubes voltados exclusivamente à dança, visando estimular a criação artística, democratizar as condições de produção, oferta de formação e revelação de talentos.

A Unidade também promoverá no segundo semestre o Encontro de Corais já tradicional no calendário da cidade e as novidades do curso de capacitação de teatro da SP Cidade, o Encontro de Literatura “As Palavras invadem a cidade” e o apoio ao evento JundComics, de inspiração em elementos da cultura Nerd e Geek.

Até para o Natal a Unidade de Cultura já tem programação. A tradicional exposição de presépios no Museu Histórico e Cultural virá acompanhada de uma grande novidade: o Natal de Luz, com iluminação natalina e apresentações de ballet no Parque da Cidade.

Assessoria de Imprensa
Fotos: Arquivo PMJ



Link original: https://saladeimprensa.jundiai.sp.gov.br/2017/08/17/cultura-apresenta-o-levantamento-de-acoes-e-proximos-projetos/
Leia mais sobre , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Galeria de imagens desta notícia

Clique na imagem para fazer o download do arquivo na resolução original



Sala de Imprensa | Desenvolvido por CIJUN
www.jundiai.sp.gov.br