Mais de 21% dos usuários da Rede de Atenção Básica faltam às consultas

Publicada em 08/06/2017 às 18:14

O diabetes entre outros problemas de saúde que os 63 anos trouxeram para a vida de dona Marlene Lucas Alves obriga a usuária da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Novo Horizonte a consultar o clínico geral mensalmente. Uma orientação médica seguida à risca, mas cada vez mais difícil de ser obedecida, já que o equipamento de saúde está no topo entre as UBSs com maior incidência de faltas em consultas. Em toda a Rede de Atenção Básica, a média de faltas chega a ultrapassar 21%.

Para a diretora de Regulação da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Fabiana Barrete de Alcantara Fredo, estas faltas impactam no acesso do usuário a especialistas como clínico geral, pediatra e ginecologista. “Cada vez que o munícipe não comparece à consulta e não avisa, está pegando a vaga de alguém, impedindo que a fila ande e deixando o profissional de saúde ocioso”, aponta.

De acordo com levantamento feito pela UGPS, os campeões em faltas são as UBSs do São Camilo, Jundiaí-Mirim e Novo Horizonte, além das Unidades de Saúde da Família (USFs) do Parque centenário e Rio Acima. “Em comum são regiões de alta vulnerabilidade, ou seja, áreas onde o atendimento prestado pela Rede de Atenção Básica é ainda mais importante”, lembra Fabiana.

Nos ambulatórios a situação não é muito diferente. Ambulatórios da Saúde da Mulher, de Especialidade (NIS) e de Geriatria e Gerontologia, nesta ordem, são os que mais registram ausências nas consultas. “Quando estamos falando de promoção de saúde todas as especialidades são importantes, mas, neste caso, estamos falando do cuidado com a mulher, com a gestante e do atendimento com especialistas que muitos usuários aguardam por um agendamento”, explica.

 

Medidas

Fabiana revela, ainda, que esta média de faltas é reincidente e se repete desde abril de 2016. Na tentativa de reverter estas estatísticas, a UGPS tem ampliado o acesso ao sistema, permitindo que o cancelamento na consulta seja feito também por telefone. “Ocorre que ao marcar uma consulta, o usuário recebe uma filipeta. Quando desmarca por telefone, é dada a baixa no sistema, mas não no sistema e muitos munícipes, mesmo tendo desmarcado, comparecem à consulta”, esclarece.

A nova gestão também tomou outra medida na expectativa de reverter esse cenário de faltas dos pacientes. O aplicativo da Prefeitura de Jundiaí, lançado em abril deste ano, notifica o usuário com um lembrete sobre a consulta marcada via dispositivo. Algo que já é realizado em clínica e consultórios particulares, contempla, agora, o serviço público

Fabiana orienta que a consulta seja desmarcada, se possível, até 72 horas antes. Desta forma, será possível o encaixe de pacientes que aguardam na fila. “A UGPS realiza, constantemente, um monitoramento, assim como tem desenvolvido um trabalho de conscientização nas UBSs. Nossa meta é baixar este índice de falta para 15%”, espera.

Enquanto isso, dona Marlene promete fiscalizar e espera que no próximo levantamento realizado pela UGPS, a UBS do Jardim Novo Horizonte deixe de ocupar o topo da lista de faltantes.

Assessoria de Imprensa

Fotos:  Fotógrafos PMJ

 

 

 



Link original: https://saladeimprensa.jundiai.sp.gov.br/2017/06/08/mais-de-21-dos-usuarios-da-rede-de-atencao-basica-faltam-as-consultas/
Leia mais sobre , ,

Galeria de imagens desta notícia

Clique na imagem para fazer o download do arquivo na resolução original



Sala de Imprensa | Desenvolvido por CIJUN
www.jundiai.sp.gov.br