Serviço de análise do solo segue com atendimento a agricultores

Publicada em 17/10/2016 às 14:35

A coleta de amostras de solo para análise fisico-química, mantida pelo Programa de Monitoramento da Fertilidade do Solo, continua aberta para produtores rurais do município e já atingiu em outubro a mesmo patamar de 2015, com 186 amostras em todos os 12 meses.

Essa análise é exigida, por exemplo, no caso de financiamento bancário de projetos produtivos. Os contatos podem ser feitos na Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Turismo em (11) 4589 8581 ou no 5º andar do Paço.

O solo é um elemento vivo, que precisa conter matéria orgânica (como sabem todas as pessoas que identificam sua saúde pela presença de minhocas, por exemplo). A análise completa da amostra, com método próprio de coleta,  inclui os macronutrientes como cálcio, fósforo e potássio e os micronutrientes como boro, zinco ou manganês.

A partir do resultado, que leva em média de 15 a 20 dias, a avaliação é feita pelo núcleo de agrônomos da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Turismo (SMAAT) para orientar as correções necessárias de acordo com os tipos de cultivo como frutas e hortaliças, sendo indicados insumos para o cultivo orgânico e convencional.

Essa dosagem adequada controla o desperdício de recursos financeiros e humanos, também evitando o excesso de adubos nitrogenados no meio ambiente, que podem provocar danos aos mananciais.

Contra a acidez – Nesse sentido, o monitoramento do solo recebe orientações para ser complementado com ações como a adubação orgânica ( a chamada “torta de mamona”), a cobertura verde (ou “mulching”), o plantio direto e outras técnicas em desenvolvimentos nos centros de pesquisa, como o Instituto Agronômico de Campinas (IAC) que tem duas unidades no município.

São cuidados que preservam o solo fresco, evitam a temperatura excessiva, combatem a erosão, conservam a umidade e até mesmo controlam as espécies invasoras.

Outros benefícios indiretos são causados pela presença de áreas verdes no entorno dos cultivos pela presença de inimigos naturais de pragas ou a função de quebra-ventos, entre outros.  Mas a fertilidade do solo exige uma atenção constante para suas próprias condições vitais.

Processo de análise – Uma amostra de solo pode ser obtida com equipamentos como trado e enxadão. A amostragem consiste na coleta de várias subamostras, que após misturadas formarão uma amostra completa que será enviada ao laboratório.

Os cultivos perenes podem ter análises espaçadas por cerca de dois ou três anos, enquanto os cultivos temporários (como hortaliças) ou a abertura de um novo cultivo perene precisam de análises anuais. Essa diferença explica a variação dos números do programa, que em 2014 teve um pico de 226 análises.

A orientação atualmente é realizada pelos agrônomos Felipe de Oliveira Magro, Lourival Fagundes e Sérgio Mesquita Pompermayer, na Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Turismo.

 



Link original: https://saladeimprensa.jundiai.sp.gov.br/2016/10/17/servico-de-analise-do-solo-segue-com-atendimento-a-agricultores/

Galeria de imagens desta notícia

Clique na imagem para fazer o download do arquivo na resolução original



Sala de Imprensa | Desenvolvido por CIJUN
www.jundiai.sp.gov.br