Meninos do Brasil levam taça do Campeonato Aberto Sub13

Publicada em 13/08/2016 às 17:00

Com muita emoção, mais uma edição do Campeonato Aberto de Futebol de Campo Sub13 foi finalizada, neste sábado (13), no Centro Esportivo Romão de Souza, na Colônia. Este ano a competição homenageou o ex-jogador Wilson Roberto Baialuna, o Xisté. Quem levantou a taça foi o Meninos do Brasil/Audax 3 após jogo difícil contra o AABB Amarelo. A vitória veio nos pênaltis por 6 a 5.

O secretário de Esportes e Lazer, João Guilherme Maffia, acompanhou o evento e destacou o principal papel do campeonato. “O nosso objetivo é promover o esporte como ferramenta social, de inclusão, educação e cidadania. Ver um campeonato com todo esse potencial sendo encerrado mais uma vez com sucesso é muito gratificante. Obrigado a todos os envolvidos, equipes, pais e professores, e principalmente o Xisté, que fez muito pelo futebol jundiaiense e hoje incentiva iniciativas como a nossa”, concluiu.

A ansiedade da partida pôde ser notada pela emoção dos atletas em campo. Arthur Rocha da Silva, de 13 anos, foi um dos que mais vibraram durante o jogo e revelou a razão da euforia. “Quando começamos o campeonato, não estávamos entrosados. Por isso, foi um começo muito ruim e falavam que nós não íamos passar nem da primeira fase. Agora, a gente provou que podemos ser melhores e a alegria não cabia em mim”, disse o jovem que herdou a paixão pelo futebol do pai.

Também foi definido o terceiro lugar entre Nacional e Clube Jundiaiense, com a vitória do Nacional no tempo normal por 2 a 0. “Nossa maior preocupação é a formação. Sempre falamos para os meninos que, dentro do futebol, podemos ser várias coisas, mas seja como for, temos de manter o respeito, a humildade e o caráter acima de tudo. O esporte ensina isso, e é muito importante que eles tenham isso em mente, tanto na vitória quanto na derrota”, disse o técnico do Nacional, Marcos Pereira.

Patrono- Xisté nasceu em Jundiaí e foi na cidade que desenvolveu seu talento pelo futebol. Em 1970 integrou uma seleção amadora jundiaiense que enfrentou o Paulista em amistoso local. A partida terminou empatada sem gols, mas o Paulista resolveu chamar dois jogadores do adversário para testes: Formiga e Serginho Chagas. Como Formiga não foi, Xisté acabou sendo aprovado e assinou contrato de dez meses com o clube.

Depois do Paulista, atuou em diversos times, como Palmeiras, Rio Preto, Ceub, ABC de Natal, Atlético de Goiás, Fernandópolis, Taquaritinga e EC Campo Limpo, onde encerrou a carreira, pois, com saudade da família, viu a possibilidade de aposentar as chuteiras perto de casa e no auge de seu rendimento. Hoje, com 66 anos, é servidor público da Prefeitura e atua no Centro Esportivo José Brenna, o Sororoca.

“Só quero agradecer a todos pela oportunidade de vivenciar esse momento, principalmente os educadores que trabalham duro para ensinar muito mais que uma modalidade, mostrar um jeito diferente de viver para esses meninos. A honra é minha em emprestar meu nome para um evento tão bacana quanto esse”, disse o ex-jogador.

Até a entrega das medalhas foi feita de forma a integrar e reforçar o espírito de união entre as equipes. Cada jogador segurava uma medalha e a colocava no pescoço de outro do time adversário, assim também com os técnicos.



Link original: https://saladeimprensa.jundiai.sp.gov.br/2016/08/13/meninos-do-brasil-levam-taca-do-campeonato-aberto-sub13/
Leia mais sobre

Galeria de imagens desta notícia

Clique na imagem para fazer o download do arquivo na resolução original



Sala de Imprensa | Desenvolvido por CIJUN
www.jundiai.sp.gov.br