Parque Tecnológico quer segurança jurídica para iniciativa privada

Publicada em 14/04/2016 às 05:42
Alessandro RosmanDécima reunião do Conselho avançou a pauta do Parque Tecnológico

Décima reunião do Conselho avançou a pauta do Parque Tecnológico

O Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação esteve reunido na tarde desta quinta-feira (14), no auditório do oitavo andar do Paço Municipal. O encontro, o décimo desde a criação do órgão, reuniu na mesma mesa representantes da iniciativa privada local, do Poder Público e de instituições de ensino superior e pesquisa acadêmica. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Marcelo Cereser, participou da conversa.

Em pauta, a vinda do inédito escritório da Junta Comercial do Estado de São Paulo para Jundiaí, a quase certa participação da empresa Google na edição do Empreende Digital (em maio), o desenvolvimento de programas municipais para atração e retenção de novas empresas na cidade – como os casos do Desenvolve Jundiaí e Emprega Mais – e, finalmente, os avanços na formatação da segurança jurídica do futuro Parque Tecnológico, tema importante e que torna o empreendimento ainda mais atraente e seguro para que empresas de vocação tecnológica invistam no espaço.

“O principal objetivo é nos respaldarmos em uma legislação de longo prazo, que não seja revogável por manobras ou interesses políticos. Que seja uma empreitada para o bem da cidade, acima de qualquer tipo de projeto político. Esse passo é fundamental para conquistarmos, cada vez mais, a confiança e o crédito do setor privado, principal fiador do Parque quando este entrar em operação”, definiu o vice-presidente executivo, José Dimas Gonçalves, que conduziu o protocolo.

“Para mim, que venho da iniciativa privada, é uma grata surpresa. Os exemplos que temos acerca do Poder Público nos levam a vê-lo com certa indiferença, já que, não raros exemplos, ele mostra-se ineficaz e defensor de outros interesses que não o bem da coletividade. É exatamente o oposto do que presencio nessas conversas do Conselho. Existe um engajamento no sentido da realização do projeto com eficiência e transparência voltados ao bem comum”, anotou o vice-presidente da multinacional Mahle, Ricardo Simões de Abreu, membro do Conselho.

Edital para novos Incubados – Representando o Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomércio), Edison Maltoni anunciou, em primeira mão, a abertura de edital de chamamento para seleção de mais quatro (com potencial de seis) novas empresas para a Incubadora Tecnológica de Jundiaí. O edital deverá ser publicado em maio na Imprensa Oficial do município e os projetos apresentados analisados pelo Conselho em junho, assim como a emissão de certificados para os novos incubados.

“Recentemente, tivemos a satisfação em ver um incubado dando voos mais altos ao abrir a própria empresa logo no término do período de incubação. Enquanto ele ficou na Incubadora, teve total respaldo jurídico, marketing, contabilidade, estoque, entre outros. É um dos cases de sucesso que colecionamos”, frisou Maltoni.

Para Cereser, há uma evidente evolução dos projetos durante as negociações postas em mesa. “Temos aqui um espiral de conhecimento, saberes diferentes que se complementam e que resultam numa construção coletiva bastante positiva. Um bom exemplo são as novas legislações do Desenvolve Jundiaí e Emprega Mais, que têm sido fundamentais para a vinda de novas empresas. Vamos levar esse mesmo modelo para formatarmos toda jurisprudência do Parque e trazer total segurança aos investidores.”


Por Thiago Secco

Link original: https://saladeimprensa.jundiai.sp.gov.br/2016/04/14/parque-tecnologico-quer-seguranca-juridica-para-iniciativa-privada/


Sala de Imprensa | Desenvolvido por CIJUN
www.jundiai.sp.gov.br