De volta a Jundiaí, Paulo Gomes declara amor ao Opala

Publicada em 28/11/2014 às 06:52
DivulgaçãoPaulo Gomes é um dos maiores ídolos do automobilismo

Paulo Gomes é um dos maiores ídolos do automobilismo

O piloto Paulo Gomes já não se lembra mais quando viu um carro de corrida pela primeira vez. Nem mesmo quando decidiu que seria um profissional do automobilismo. A memória de Paulo, um dos pilotos mais importantes do País, remonta à década de 1960, quando o amor pelos motores já havia aflorado, mas a modalidade mostrava-se custosa demais para uma aventura.

“Eu já queria correr, mas não tinha dinheiro.” O pai, seo Cícero, apoiava a ideia, mas pouco podia contribuir com o que ganhava como inspetor de um banco estatal. A vida de Paulo começou a mudar quando um amigo começo a disputar algumas provas e precisava de um parceiro na equipe.

“A primeira coisa que ele fez foi preparar meu carro de rua para a competição. Era um Fusca que eu tinha na época, então, lá fui eu correr de fusca.” Assim começa uma das carreiras mais vitoriosas do automobilismo brasileiro.

Do Fusca, Paulo partiu em pouco tempo para as corridas de Maverick. Nessa época, década de 1970, já percorria os principais circuitos brasileiros com o “circo” artesanal da competição. Levantou o troféu de campeão por 10 vezes, até que em 1979 foi chamado para encabeçar uma nova categoria: a Stock Car. Foi lá, inclusive, que ele imortalizou o carro de número 22.   

“Era um Opala. A minha história com esse modelo vem de muito tempo. Passei anos da minha vida disputando com Opalas”, lembra, ao contar que possui uma réplica do veículo de 1979, que o ajudou a conquistar o primeiro título da recém-inaugurada modalidade. Paulo ostenta o tetracampeonato da Stock, faturando também em 1983, 1984 e 1995.

Com 66 anos, ainda tem gás de sobra para atuar como entusiasta e organizador por trás da Old Stock Race, categoria que resgata os Opalas e recontar os dias de glória da marca pelas pistas Brasil afora. Paulo, inclusive, será um dos competidores. “Quando pensávamos em promover uma categoria retrô, fomos em busca de veículos e peças e só aí nos demos conta do universo de apaixonados pelo Opala”, constata, ansioso pela participação dele no 8º Encontro Nacional de Opalas em Jundiaí, o primeiro evento de porte a contar com a presença especial do piloto.

“Ouço dizer muito bem desse tipo de encontro, além de também conhecer Jundiaí. É uma bela cidade, me deixou ótimas impressões em todas as vezes que estive por aí.”

Depois de 50 anos correndo, Paulo acelera também fora do carro. Já foi proprietário de equipe em duas categorias de corrida, assumiu o posto de comentarista de tevê e, mais recentemente, encarou o desafio de adotar a direção da Confederação Brasileira de Automobilismo, onde – diz – corre atrás da viabilização de leis de incentivo ao esporte.     

      

O ENCONTRO – O 8º Encontro Nacional de Opalas está marcado para 30 de novembro (domingo), das 9h às 17h, no Parque Comendador Antônio Carbonari (Parque da Uva). O evento é promovido pelo Clube Opaleiros de Jundiaí e conta com apoio da Prefeitura de Jundiaí – por meio da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Turismo, Cultura, Serviços Públicos e Comunicação Social – Luchini, MeuOpala.com e Racing Project.

 

São esperados cerca de 2 mil veículos e integrantes de clubes de outros Estados. Donos de Opalas de outros países, como Argentina, Paraguai e Chile, também já confirmaram presença. Segundo os organizadores, 20 mil pessoas devem passar pelo parque durante o encontro, que também terá apresentação de quatro bandas ao vivo.


Por Thiago Secco

Link original: https://saladeimprensa.jundiai.sp.gov.br/2014/11/28/de-volta-a-jundiai-paulo-gomes-declara-amor-ao-opala/


Sala de Imprensa | Desenvolvido por CIJUN
www.jundiai.sp.gov.br