Resíduos Sólidos: Jundiaí fecha parceria com universidade alemã

Publicada em 28/08/2013 às 10:17
DivulgaçãoEvento busca novas parcerias entre Brasil e Alemanha

Evento busca novas parcerias entre Brasil e Alemanha

A Prefeitura de Jundiaí terá a Universidade de Braunschweig como parceira para o desenvolvimento de estudos sobre tratamento de resíduos sólidos. A definição do trabalho em conjunto entre jundiaienses e alemães aconteceu durante o Encontro Matchmaking, realizado na cidade de Bonn, na Alemanha.

Participaram pesquisadores brasileiros e alemães, além de representantes do setor público e empresarial, que assinaram um termo de cooperação acadêmica entre entidades dos dois países – representadas pelo Centro de Aperfeiçoamento à Pesquisa em Ensino Superior (Capes) e Deutscher Akademischer Austausch Dienst (DAAD).

“A Universidade de Braunschweig vai apresentar um projeto ao governo alemão do qual os resíduos sólidos de Jundiaí serão objeto de estudo. Tudo isso resultará num relatório e diagnóstico das condições e caracterizações destes resíduos produzidos na cidade”, afirmou o secretário de Serviços Públicos, Aguinaldo Leite.

Presente na reunião em Bonn, juntamente com o secretário de Comunicação Social, Cristiano Guimarães, Aguinaldo Leite destacou que os investimentos necessários para o estudo serão custeados pelo governo alemão. “Além de financiar a pesquisa, o projeto contempla ainda a transferência de know how e difusão de conhecimento aos técnicos da Prefeitura de Jundiaí e estudantes universitários através de workshops e cursos de capacitação em tratamento mecânico biológico para resíduos sólidos”, lembrou.

“Esta ação foi dividida em duas etapas: a primeira na Alemanha, em que apresentamos a cidade e iniciamos o desenvolvimento do projeto a ser apresentado no programa de Novas Parcerias (NoPa) entre Brasil e Alemanha. Na etapa brasileira, que acontece no Rio de Janeiro, entre os dias 2 e 5 de setembro, será concluído o projeto e feita a inscrição para a avaliação do governo alemão através da GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit)”.

Elogios – A decisão dos alemães em financiar o projeto será realizada até novembro deste ano. “A apresentação de Jundiaí feita com base nos indicadores econômicos, Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), Produto Interno Bruto (PIB), dados sobre a localização estratégica e potencial de incidência solar (para a exploração de Energia Heliotérmica) foi bastante elogiada e empolgou o governo alemão. Tanto que eles também estarão em Jundiaí para conhecer nossa cidade, durante o encontro no Rio”, comentou o secretário de Comunicação Social, Cristiano Guimarães, responsável pela apresentação dos dados técnicos em Bonn.

Prova disso é a conquista de apoio do Creed (Center for Research, Education and Demonstration in Waste Management), órgão da Universidade de Braunschweig responsável pelas pesquisas de resíduos sólidos da Alemanha. “Quando estivemos em Hannover, para participar de um simpósio internacional sobre o tema, descobrimos que o Creed tinha interesse em se instalar na América Latina para desenvolvimento de estudos e pesquisas destinadas ao tratamento mecânico-biológico dos resíduos”, explicou Aguinaldo Leite. “Fizemos a apresentação da cidade para eles, que solicitaram o uso de uma área de 20 mil m² para criação do centro tecnológico de referência no tratamento dos resíduos. Já temos essa área no Geresol (Centro de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Prefeitura de Jundiaí)”.

Caso o centro tecnológico de referência no tratamento de resíduos sólidos se confirme no Geresol, Jundiaí pode tornar-se referência para o Brasil e toda a América Latina na questão do lixo. “Vamos dar a destinação correta para este material, sem prejuízo ao meio ambiente como hoje acontece em relação aos aterros sanitários. Isso vai significar mais qualidade de vida para a população, pois até 80% do que é descartado pela população em Jundiaí será reaproveitado. Hoje, da maneira como é feito, só conseguimos atingir 2% deste aproveitamento”, destacou Aguinaldo Leite.

DivulgaçãoSecretários e Prof. Dr. Michael Bongards, gerente científico do Projeto Metabolon

Secretários e Prof. Dr. Michael Bongards, gerente científico do Projeto Metabolon


Por Emerson Leite

Link original: https://saladeimprensa.jundiai.sp.gov.br/2013/08/28/residuos-solidos-jundiai-fecha-parceria-com-universidade-alema/


Sala de Imprensa | Desenvolvido por CIJUN
www.jundiai.sp.gov.br