Professores da rede municipal participam de formação do patrimônio histórico e cultural

Publicada em 22/08/2013 às 04:00
Alessandro RosmanVisitação dos professores aos patrimônios históricos

Visitação dos professores aos patrimônios históricos

A Secretaria de Cultura ofereceu quarta-feira (21) um formação cultural para 47 professores do 5º ano do ensino fundamental da rede municipal, dentro do projeto “Jundiaí: múltiplas temporalidades – Ressignificando o Espaço da Cidade”. A proposta, sob responsabilidade do diretor do Museu Histórico e Cultural de Jundiaí, Jean Camoleze, e do historiador Alexandre Oliveira, tem como base a visitação nos patrimônios históricos e culturais da cidade.

“Esta é a primeira ação deste projeto que irá atender, inicialmente, 3 mil alunos. Em breve, as informações serão repassadas para todos os professores e alunos da rede. A formação cultural é importante porque oferece um subsídio de construção de uma proposta pedagógica, tendo como foco o patrimônio histórico e cultural de Jundiaí que precisa ser conhecido para ser valorizado”, explica Claudete Formis, coordenadora do programa de educação ambiental da Secretaria de Educação.

A formação começou pela Pinacoteca Diógenes Duarte Paes, prédio construído no final do século XIX, pelo arquiteto Ramos de Azevedo. O espaço já abrigou uma das escolas mais tradicionais da cidade, a Siqueira Moraes, e a Biblioteca Pública Municipal Professor Nelson Foot.

Segundo Camoleze, o modelo arquitetônico do prédio já conta muita história. “No período em que foi construído, a educação fazia parte de um processo monumental e era restrita para pequenos grupos. A região central de Jundiaí conta muitas histórias do início da cidade e dos povos que aqui habitavam”.

Início – A Esplanada do Monte Castelo foi onde a cidade começou, a localização foi de grande importância por questões de defesa. “Além de ter importantes rios na proximidade, como o Guapeva e o Córrego do Mato. Do alto era possível ter ampla visão de toda a região”, explica Alexandre.

Os professores ainda passaram pelo Teatro Polytheama; praça Rui Barbosa (denominada Largo do Pelourinho no século XVIII e Largo do Rosário no século XIX); atual praça Governador Pedro de Toledo (enfoque na Catedral Nossa Senhora do Desterro e monumento “esquadra”), finalizando no Museu Solar do Barão.


Por Flávia Alves

Link original: https://saladeimprensa.jundiai.sp.gov.br/2013/08/22/professores-da-rede-municipal-participam-de-formacao-do-patrimonio-historico-e-cultural/


Sala de Imprensa | Desenvolvido por CIJUN
www.jundiai.sp.gov.br